AMMA Contabilidade


Escritório de Contabilidade

Conheça-nos

Sobre a Empresa

AMMA Contabilidade e Assessoria Empresarial,  está no mercado há 15 (quinze) anos, e seus sócios com uma larga experiência de 25 (vinte e cinco ) anos de atuação na área de contabilidade o propósito de atender as necessidades organizacionais e gestão empresarial, direcionada para atender as pequenas e medias empresas. Temos a preocupação de mantermos nossas estruturas tecnológicas e colaboradores sempre atualizados para garatirmos uma prestação de serviços eficiente e segura com atendimento rápido.

VALORES

Ética, integridade, qualidade e comprometimento com nossos clientes internos e externos.

MISSÃO

Promover e preservar a legalidade de empresas, através de uma contabilidade comercial regular planejada e bem executada, obedecendo à legislação especifica e, ainda, disponibilizar instrumentos de controle gerencial, para que dispondo de informações, nossos clientes possam tomar decisões seguras e eficazes, caminhando em direção ao sucesso.

VISÃO

Ser uma empresa reconhecida pela sua excelência em qualidade pelos serviços prestados, com a qual os clientes sintam-se confiantes e satisfeitos.

Contrate Já!

Serviços Prestados


CONTABILIDADE

Registro, Escrituração e Emissão dos Livros Contábeis. Entrega dos Arquivos Digitais da RFB.

FISCAL

Registro, Escrituração e Emissão dos Livros Fiscais. Emissão de Guias, Geração de Impostos e Entrega dos Arquivos Digitais da SEF e RFB.

TRABALHISTA

Processamento da Folha de Pagamento. Emissão de Guias. Geração de Impostos e Entrega dos Arquivos Digitais para o INSS, CEF, RFB e MTB.

LEGALIZAÇÃO

Abertura, Encerramento, Alteração e Regularização de Empresas. Alteração e Baixa das Incrições nos Órgãos Públicos. Obtenção de Certidões Negativas.

Endereço Fiscal

Mais um serviço que está disponível para os atuais e futuros clientes, alugue agora mesmo um espaço virtual e contrate o seu endereço fiscal em até 24(vinte e quatro) horas com baixo custo e com a marca AMMA OFFICE CENTER, com um pequeno investimento oferecemos serviços de gerenciamento de correspondência e endereço fiscal, estamos instalados em uma das cidades que mais cresce no Distrito Federal.

Notícias


Bolsonaro edita MP que isenta moradores do Amapá do pagamento de luz, diz Planalto

Segundo Secretaria-Geral, isenção vale para 30 dias anteriores à MP. AP enfrenta crise de energia desde que incêndio atingiu subestação local. Governo diz que fornecimento está normalizado. A Secretaria-Geral da Presidência informou que o presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quarta-feira (25) a medida provisória que isenta os moradores do Amapá do pagamento da conta de luz. Segundo a pasta, a isenção vale para os 30 dias anteriores à publicação da MP. A assinatura aconteceu em uma cerimônia na Base Aérea de Brasília, na qual estavam presentes algumas autoridades, entre as quais o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). O Amapá enfrenta uma crise no fornecimento de energia elétrica desde o início do mês, quando um incêndio atingiu a principal subestação de energia do estado. Nesta terça (24), o governo federal informou que o fornecimento foi normalizado (veja no vídeo mais abaixo). De acordo com a Secretaria-Geral, a isenção do pagamento não causará prejuízo à Companhia de Eletricidade do Amapá, que receberá os valores por meio da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). Ainda segundo o Palácio do Planalto, para compensar o uso do fundo, o Tesouro Nacional vai aportar R$ 80 milhões para a CDE, por meio de uma segunda medida provisória editada por Bolsonaro. "Com isso, busca-se proteger os consumidores do estado, sem causar prejuízo que inviabilize a companhia. Ao mesmo tempo, permite-se que todas as demais medidas sejam tomadas para apurar responsabilização decorrente de eventual exploração inadequada do serviço público de fornecimento de energia elétrica", acrescentou a pasta. Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no "Diário Oficial da União". Precisam, no entanto, ser aprovadas pelo Congresso Nacional para se tornar leis em definitivo. Fornecimento de energia do Amapá é normalizado após três semanas MP dos R$ 80 milhões De acordo com a Secretaria-Geral, Bolsonaro também editou nesta quarta-feira uma MP para abrir crédito extraordinário de R$ 80 milhões para o Ministério de Minas e Energia. Esse montante, informou o Planalto, permitirá a transferência dos recursos para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). "O valor será ressarcido por recursos da própria União e não onerará os consumidores ou as contas de luz dos demais estados. Para isso, será aberto um crédito extraordinário, sendo o aumento de despesa compensado com o fim da isenção do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que vigoraria até o final do ano", informou a pasta. Ainda de acordo com a Secretaria-Geral, Bolsonaro editou um decreto para alterar o período de redução de alíquota zero do IOF. Edição de medidas provisórias A decisão sobre a edição da MP para o Amapá foi antecipada pela colunista do G1 e da GloboNews Ana Flor, na semana passada. A assinatura, contudo, era esperada para o último sábado (21), quando Bolsonaro esteve em Macapá. Mas isso não aconteceu. Medidas provisórias têm força de lei assim que publicadas no "Diário Oficial da União". Precisam, no entanto, ser aprovadas pelo Congresso Nacional em até 120 dias para se tornar leis em definitivo. O Congresso Nacional pode aprovar a MP enviada pelo governo; aprovar com alterações; ou rejeitar. Se a MP não for votada em até 120 dias, perde validade. Mais cedo, nesta quarta-feira, o subprocurador-geral do Ministério Público Lucas Furtado pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) que mande o governo se abster de repassar dinheiro do Tesouro Nacional para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) a fim de custear a isenção da conta de luz para os moradores do Amapá. Depois de 19 dias de apagão, o presidente Bolsonaro visitou o Amapá Bolsonaro em Macapá No último sábado (21), depois de 19 dias de crise e dois apagões no estado, Bolsonaro visitou o Amapá e anunciou a edição da MP (relembre no vídeo acima). "Estamos na iminência de assinar uma MP para dar uma medida compensatória a todos os que foram prejudicados com essa falta de energia. Então grande parte devemos a você essa iniciativa, além de outras, que se por ventura se fizerem necessárias, nós estamos prontos para atender o estado do Amapá", disse Bolsonaro na ocasião. Durante a visita, geradores termoelétricos começaram a funcionar parcialmente. A promessa era que os equipamentos fossem restabelecer a energia para 100% do estado, o que não aconteceu de imediato. O prazo, então, foi estendido para esta quinta-feira (26), com a ativação de um novo transformador em Macapá. Mas o governo afirma que, desde esta terça (24), o fornecimento foi normalizado. Entenda o apagão no Amapá A crise no estado A principal subestação do estado, que faz o Amapá ter acesso ao Sistema Interligado Nacional (SIN), pegou fogo em 3 de novembro, causando o corte no fornecimento para 90% da população do estado - cerca de 765 mil pessoas. Com a falta de eletricidade, houve problemas no fornecimento de água potável e nas telecomunicações, além de filas nos postos de combustíveis e prejuízos ao comércio. Já houve mais de 120 protestos contra o apagão desde o dia 6 de novembro. O Ministério de Minas e Energia afirma que a subestação deveria funcionar com dois transformadores e ter um terceiro, de "back up". Com o incêndio, um equipamento foi completamente destruído, outro ficou sobrecarregado e foi danificado, e o terceiro estava em manutenção desde dezembro de 2019. Análise Ouça o episódio do podcast O Assunto sobre o apagão no Amapá: Assista a vídeos sobre o apagão no Amapá: Initial plugin text



Anac autoriza retomada das operações de jatos 737 MAX 8, da Boeing, no Brasil

Voos do modelo estavam suspensos desde março de 2019 depois que dois acidentes deixaram 346 mortos. Decisão da Anac ocorre após ajustes no projeto e liberação de agência dos EUA. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou nesta quarta-feira (25) o retorno no Brasil dos voos com as aeronaves 737 MAX 8, da Boeing. Operações com o modelo estavam suspensas no Brasil e no mundo desde março de 2019, após dois acidentes com esse tipo de aeronave num período de cinco meses, com um total de 346 mortos (leia mais abaixo). O 737 MAX 8 é a versão mais recente do avião comercial mais vendido no mundo. No Brasil, apenas a Gol voava com o modelo - na época da suspensão das operações, a empresa tinha sete aeronaves desse tipo que eram usadas em rotas para os Estados Unidos, América do Sul e Caribe. A decisão da Anac ocorre uma semana depois de a agência de aviação dos EUA (FAA na sigla em inglês) autorizar a Boeing a retomar os voos com suas aeronaves 737 MAX. Agência dos EUA libera voos com Boeing 737 MAX "A Anac retirou a Diretriz de Aeronavegabilidade que restringia a operação do MAX no Brasil após concordar com a avaliação da FAA de que todos os elementos técnicos e regulatórios necessários para endereçar as questões de segurança foram realizados", informou a agência em nota. A decisão da FAA, diz a Anac, "tem vigência automática no Brasil, devendo ser cumprida de imediato pelos operadores aéreos que pretendem operar o modelo." Também na nota, a Anac informa que foram exigidos da Boeig a reconfiguração do sistema de controle de voo do modelo, além de "correção do roteamento do conjunto de cabos, revisões de procedimentos incorporados ao manual de voo e testes de recalibração dos sensores." O programa de treinamento de pilotos que operam a aeronave também foi revisto. Segundo a agência, além da revogação da diretriz que impedia os voos do 737 MAX 8 no Brasil, a volta das operações depende também da "comprovação do cumprimento das exigências de treinamento para tripulação e de projeto para os aviões." Entenda a crise A decisão de manter no chão as aeronaves 737 MAX em março de 2019, depois que acidentes mataram 346 pessoas na Etiópia e na Indonésia, provocou ações judiciais, investigações do Congresso e do Departamento de Justiça e cortou uma fonte importante de renda da Boeing. Um painel da Congresso dos Estados Unidos concluiu, após 18 meses de investigação, que os dois acidentes com o Boeing 737 MAX resultado de falhas da fabricante de aeronaves Boeing e da FAA. "Eles foram o terrível resultado de uma série de suposições técnicas incorretas dos engenheiros da Boeing, uma falta de transparência por parte da administração da Boeing e uma supervisão grosseiramente insuficiente da FAA", concluiu o relatório. Em meio à crise, a Boeing decidiu também rescindir em abril de 2020 o acordo de compra da área da aviação comercial da Embraer, que previa a criação de empresa conjunta de US$ 5 bilhões que teria controle da gigante americana. Perspectivas A Boeing está buscando novos compradores para muitos de seus 737 MAX, após ver compradores originais cancelarem seus pedidos. A demanda foi ainda mais prejudicada pela pandemia de coronavírus. Mesmo com todos os obstáculos, a retomada das entregas do 737 MAX abrirá um canal crucial de receita para a Boeing e centenas de fornecedores de peças cujas finanças foram prejudicadas por cortes de produção relacionados à suspensão do jato. A American Airlines planeja operar o primeiro voo comercial do MAX em 29 de dezembro. A Southwest Airlines, maior operadora de MAX do mundo, não planeja retomar os voos da aeronave até o segundo trimestre de 2021.



Após registrar aumento de pedidos de regularização do CPF, Receita lança seção em site para ajudar contribuinte


Na Seção Meu CPF no site da Receita é possível consultar, atualizar e emitir o documento. A Receita Federal identificou um "aumento significativo" na demanda por serviços relacionados à regularização de CPF nesta semana nas unidades físicas. Por isso, lançou em seu site uma nova seção chamada Meu CPF - clique no link. Ali é possível consultar e atualizar o CPF, além de emitir o documento. Na página há as várias situações em que pode se encontrar o CPF e o que fazer em cada uma delas para regularização do documento. Há ainda um perguntas e respostas com as principais dúvidas sobre o assunto. Nas situações mais comuns, não há necessidade de sair de casa. O cidadão pode atualizar o CPF pela internet e, se houver necessidade de apresentar documentos de identificação, pode enviar por e-mail à Receita Federal, anexando, também, uma selfie sua segurando o documento para comprovar sua legitimidade. Página da Receita com informações sobre CPF Reprodução Assista a mais notícias de Economia:



Anac aprova retorno de Boeing 737-8 MAX no país


Apenas a Gol Linhas Aéreas possui aeronaves do modelo, mas faz, junto com a agência reguladora, as revisões necessárias e treinamento de equipes para garantir a segurança dos voos. Funcionário trabalho próximo a um Boeing 737 MAX em Renton, nos EUA, em 16 de dezembro de 2019. REUTERS/Lindsey Wasson A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou nesta quarta-feira (25) o retorno das operações das aeronaves modelo Boeing 737-8 MAX no Brasil. O avião foi impedido de voar por autoridades certificadoras após dois acidentes na Indonésia e na Etiópia que mataram 346 pessoas em cinco meses em 2018 e 2019. No último dia 18, a Autoridade Federal de Aviação norte-americana (FAA, na sigla em inglês) autorizou a Boeing a retomar os voos e divulgou uma diretriz de aeronavegabilidade detalhando as mudanças necessárias. No mesmo dia, a Anac havia informado que verificaria se as modificações propostas eram seguras e atendiam aos requisitos. EUA autorizam retomada de voos do Boeing 737 MAX "A Diretriz de Aeronavegabilidade da FAA foi adotada também pela Anac e tem vigência automática no Brasil, devendo ser cumprida de imediato pelos operadores aéreos que pretendem operar o modelo", diz a Anac em nota. Das companhias aéreas que operam no país, apenas a Gol Linhas Aéreas possui aeronaves do modelo. A Anac informa que está trabalhando com a empresa para assegurar a implementação de qualquer adaptação necessária e treinamento de aeroviários para garantir a segurança dos passageiros. Agência dos EUA libera voos com Boeing 737 MAX "Dentre as exigências de projeto está a determinação para a reconfiguração do sistema de controle de voo desse modelo de aeronave, a correção do roteamento do conjunto de cabos, revisões de procedimentos incorporados ao manual de voo e testes de recalibração dos sensores", diz o comunicado. O retorno das operações foi permitido com a revogação de uma Diretriz de Aeronavegabilidade de Emergência (número 2019-03-01) que proibia a operação do avião da Boing no Brasil. A suspensão havia ocorrido em março de 2019. Em setembro deste ano, um painel do Congresso dos Estados Unidos concluiu, após 18 meses de investigação, que os dois acidentes com o Boeing 737 MAX resultado de falhas da fabricante de aeronaves Boeing e da FAA. "Eles foram o terrível resultado de uma série de suposições técnicas incorretas dos engenheiros da Boeing, uma falta de transparência por parte da administração da Boeing e uma supervisão grosseiramente insuficiente da FAA", concluiu o relatório. Assista as últimas notícias de economia



Sementes misteriosas: 47% das amostras analisadas apresentam risco às lavouras do país, diz ministério


Governo já estudou 36 pacotes que foram enviados do exterior para a casa de brasileiros. Até o final de outubro, já foram recebidos 525 embalagens com sementes em todo o Brasil. Agrodefesa de Goiás analisa sementes misteriosas que brasileiros receberam junto com compras on-line Reprodução TV Anhanguera O Ministério da Agricultura divulgou nesta quarta-feira (25) que analisou, até o momento, 36 amostras de pacotes de sementes misteriosas que chegaram do exterior na casa de brasileiros. Do total, 47% das amostras já analisadas apresentaram algum risco fitossanitário ao país, segundo o ministério. Segundo o ministério, até o final de outubro, foram recebidos 525 pacotes de sementes não solicitadas. As ocorrências atingiram todos estados e o Distrito Federal. O restante dos materiais continuam em análise no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, em Goiás, e não há previsão de quando o processo irá terminar. WEBSTORIES: entenda o caso das sementes misteriosas O governo afirma que os pacotes "supostamente" foram enviados de 4 países da Ásia. Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita das autoridades é de que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line. Clique aqui para saber mais. No Brasil, os relatos de recebimento de sementes não solicitadas vêm sendo registrados desde agosto. Esses produtos chegam, normalmente, junto com compras feitas pela internet. O governo afirma que os pacotes teriam sido enviados por países da Ásia, como China e Malásia, e pela região administrativa chinesa Hong Kong. Porém, a China, por exemplo, nega que tenha feito envios ao país. Risco às lavouras “Após avaliação de risco fitossanitário (...) foi identificado que uma amostra continha a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos fitossanitários”, diz o governo, em nota nesta quarta. Segundo o ministério, essa espécie apresenta resistência a herbicidas, o que torna seu controle difícil. "A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo", afirma a pasta. As análises realizadas pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária, referência em sanidade vegetal, indicam que parte das amostras contêm a presença de mais de uma praga em seu conteúdo. Relembre: fungos e bactérias são encontrados em sementes misteriosas que chegam da Ásia Em quatro amostras foram identificadas uma espécie quarentenária ausente – Descurainia sophia – considerada como planta daninha nos Estados Unidos e Canadá, além de planta invasora no México, Japão, Coreia, Chile e Austrália. Já a Myosoton aquaticum é considerada daninha nos campos de trigo da China. Outras 15 amostras continham gêneros que tem espécies quarentenárias ou espécies com potencial quarentenário, como sementes de Cuscuta; de Brassica; de Chenopodium; de Amaranthus; e dos fungos Cladosporium; Alternaria; Fusarium; e Bipolaris. Cuidados O Ministério da Agricultura reforça para que a população tenha cuidado e não abra encomendas recebidas pelo correio de pacotes de sementes não solicitadas, seja qual for o país de origem. Quem receber em casa sementes provenientes do exterior, deve entregar o material para uma das unidades do ministério em seu estado ou no órgão estadual de defesa agropecuária. Importação de sementes É possível comprar sementes do exterior, porém existe um processo rigoroso. Quem comprar deverá fazer um pedido ao Ministério da Agricultura, e o vendedor deverá ser de um país em que o Brasil autoriza esse tipo de comércio, além de ter que enviar todos os certificados de origem do produto. De acordo com o governo, existem muitos casos de pessoas comprarem sementes ou mudas pela internet sem saber da legislação. Na maioria dos casos, os produtos são apreendidos. A recomendação é de que o consumidor pesquise bem sobre o vendedor antes de fechar negócio. Veja os vídeos mais assistidos do Globo Rural



Spotify obriga trocas de senha após ataque mirar 350 mil usuários que 'reciclaram' credenciais de acesso


Especialistas encontraram banco de dados com senhas válidas do Spotify após invasores realizaram ataque de 'credential stuffing'. Golpistas usaram senhas vazadas de outros serviços para tentar violar contas no Spotify, dizem especialistas Lucas Jackson/Reuters Especialistas da vpnMentor encontraram um banco de dados exposto com 380 milhões de registros – inclusive com senhas – que estavam sendo validados para uso no serviço de streaming de música Spotify por meio de uma prática conhecida como "credential stuffing". Os pesquisadores comunicaram a empresa, que iniciou uma redefinição das senhas das 350 mil contas envolvidas. Os dados encontrados não foram vazados do próprio Spotify e tinham apenas algumas informações básicas: e-mail, senha e país de residência. "Não se sabe a origem do banco de dados nem como os golpistas estavam atacando o Spotify. Os hackers estavam possivelmente usando credenciais roubadas de outra plataforma, aplicativo ou site, e usando-as para acessar contas do Spotify", explicaram os pesquisadores. A prática de "credential stuffing" consiste em tentar utilizar senhas captadas de outras fontes (como vazamentos diversos ou senhas roubadas com páginas falsas) em novos serviços. Ou seja, um criminoso pode ter um pacote de senhas vazadas de um site qualquer (ou de vários sites agregados em um único conjunto de dados) e depois tentar usar essas mesmas senhas no serviço que ele quer atingir. SAIBA MAIS: Playlists no Spotify são usadas em possível golpe milionário com contas fantasmas, diz site Dessa forma, o ataque viola contas de usuários que usam senhas repetidas em mais de um serviço. Quem utiliza senhas diferentes para cada site não entra na mira dessa prática criminosa, pois as senhas obtidas por invasores só funcionarão no serviço onde elas foram cadastradas. O "credential stuffing" já foi utilizado para obter acesso remoto em computadores através do TeamViewer e para violar contas no iFood. Até o momento, não há nenhuma informação sobre o objetivo dos hackers com o uso dessas contas. No entanto, há casos registrados de fraudes no Spotify para inflar os royalties destinados a determinadas músicas e a popularidade das obras. Sucesso fake: músicos fraudam números de streaming usando robôs e 'jabá 2.0' Mas os especialistas da vpnMentor levantaram a hipótese de que os golpistas poderiam enviar e-mails falsos para as vítimas, tentando se passar pelo Spotify e usando as informações obtidas dos perfis para melhorar a credibilidade da mensagem. Com a redefinição das senhas comprometidas, o ataque é anulado, mas ainda é possível que informações (como playlists) tenham sido roubadas das contas antes do acesso a elas ser fechado. Com as seguidas ocorrências de vazamentos, a recomendação de utilizar senhas diferentes para cada serviço se torna cada vez mais importante. Qualquer senha vazada de um serviço, mesmo que use algum método seguro de armazenamento, poderá ser decifrada com o tempo e utilizada em outros serviços, ampliando o alcance dos invasores. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Veja mais vídeos sobre segurança digital



Gerdau anuncia primeira mulher presidente de uma de suas operações


Aos 43 anos, Michele Robert vai liderar a Gerdau Summit, joint venture voltada ao fornecimento de peças para a geração de energia eólica. Prestes a completar 120 anos, a Gerdau informou nesta quarta-feira (25) que terá uma mulher no comando de uma das suas operações pela primeira vez. Aos 43 anos, Michele Robert vai assumir a Gerdau Summit, joint venture voltada ao fornecimento de peças para a geração de energia eólica, administrada em conjunto com as japonesas Sumitomo Corporation e Japan Steel Works (JSW). Michele Robert vai liderar a Gerdau Summit Divulgação Michele é engenheira industrial e mecânica com graduação pelo Instituto Tecnológico de Buenos Aires (ITBA). Também tem mestrado em Supply Chain pela University of Michigan. Mulheres na Liderança: as barreiras que ainda prejudicam a ascensão feminina no mercado de trabalho Com mais de 20 anos de experiência, Michele já atuou na Motorola e na GE, onde ocupou diversas posições de liderança no Brasil e nos Estados Unidos e se tornou CEO do negócio de Conversão de Energia para a América Latina. Mais recentemente, atuava como CEO da Sterycicle. "A Gerdau terá uma mulher à frente de uma de suas operações industriais, o que está em linha com a transformação cultural pela qual a empresa vem passando. Sem dúvida, este movimento da companhia significa uma grande referência para o mercado como um todo", disse a executiva em comunicado. Mãe de duas filhas, Michele será responsável por cerca de 700 colaboradores na companhia. Vídeos: Últimas notícias de economia



Homenagens a Maradona tomam a internet; veja


Maior jogador da história do futebol argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória e morreu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos. Maradona equilibra uma bola ao sair do campo após treino em 22 de maio de 1986, na Cidade do México Jorge Duran/AFP Fãs e admiradores usaram as redes sociais para homenagear Diego Maradona, que morreu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos. O craque argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória em sua casa em Tigre, segundo o jornal argentino 'Clarín'. Ele havia passado por uma cirurgia no cérebro no início do mês. Veja a trajetória de Diego Armando Maradona em FOTOS REPERCUSSÃO: personalidades e políticos lamentam a morte 'Perdi um grande amigo, e o mundo perdeu uma lenda', diz Pelé Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Veja todos os vídeos sobre a morte de Maradona



Com maior emissão da história, dívida pública sobe 2,47% em outubro e alcança R$ 4,63 trilhões

Informação foi divulgada pelo Tesouro Nacional. No mês passado, país emitiu R$ 173 bilhões em papéis, o maior volume da série histórica, e retirou R$ 97,3 bilhões do mercado. A dívida pública federal em títulos – que inclui os débitos do governo no Brasil e no exterior – registrou aumento de 2,47% em outubro e atingiu R$ 4,638 trilhões, informou a Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (25). Em setembro, a dívida somava R$ 4,526 trilhões. A dívida pública é a emitida pelo Tesouro Nacional para financiar o déficit orçamentário do governo federal. Ou seja, para pagar despesas que ficam acima da arrecadação com impostos e tributos. No mês passado, de acordo com o governo, as emissões de títulos públicos somaram R$ 173,26 bilhões, o maior volume da história. Isso configura evolução frente ao registrado em meados deste ano, quando o governo enfrentou dificuldades na colocação de papéis no mercado por conta das tensões da pandemia do coronavírus. Em setembro, o governo já tinha registrado uma emissão alta de títulos, num montante de R$ 155,27 bilhões – o segundo mais alto até aquele momento. No fim de outubro, dívida pública brasileira ultrapassava 90% do PIB; veja "O nível de emissão mais elevado tem por objetivo suprir a necessidade de financiamento do governo federal e garantir a manutenção do caixa acima do limite prudencial [para pagamento dos compromissos da União]", informou o Tesouro Nacional. Ao mesmo tempo, os resgates de títulos públicos somaram R$ 97,31 bilhões no mês passado. A emissão de papéis acima dos resgates e as despesas com juros, que somaram R$ 35,78 bilhões, elevaram a dívida pública em outubro. De acordo com o Tesouro Nacional, o mercado melhorou no mês passado, favorecendo as colocações de papéis. "Expectativas de novos estímulos econômicos nos EUA e as perspectivas do resultado das eleições norte-americanas contribuíram para a melhora dos mercados ao longo do mês de outubro, apesar da cautela em relação ao aumento de casos de COVID-19 em vários países, principalmente na Europa", informou. Investimento estrangeiro Em outubro, o volume de títulos públicos nas mãos de investidores estrangeiros passou de R$ 404 bilhões para R$ 429 bilhões, uma alta de R$ 25 bilhões. Segundo o coordenador de Operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Roberto Lobarinhas, esse dado é muito positivo. "Mas ainda é cedo para dizer se esse retorno é sustentável. A gente tem que continuar observando nos próximos meses e ver com essa estatística evolui", completou. Expectativa para a dívida O governo espera crescimento da dívida pública neste ano. No começo de 2020, a programação do Tesouro Nacional indicava que a dívida poderia chegar a R$ 4,75 trilhões até dezembro. O valor foi revisado em agosto, e o teto previsto da dívida subiu para R$ 4,9 trilhões. A explicação é que o “impacto da pandemia (COVID-19) ampliou significativamente os gastos públicos, aumentando a necessidade de financiamento do governo”. Em todo ano passado, a dívida pública teve aumento de 9,5%. Ajuda na gestão da dívida pública Para facilitar a tarefa de rolar a dívida pública – ou seja, emitir novos títulos para pagar os vencimentos de papéis –, o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou em agosto o Banco Central a repassar R$ 325 bilhões para o Tesouro Nacional. No primeiro semestre, o Banco Central registrou saldo positivo de R$ 503,2 bilhões. Desse valor, R$ 478,5 bilhões têm origem em operações cambiais (reservas e derivativos cambiais). Por lei, o dinheiro que o BC repassará para o Tesouro não pode ser usado em despesas primárias, como investimentos, mas pode abater a dívida. Mais recentemente, em outubro, o BC limitou a R$ 600 bilhões o teto para a rolagem de compromissadas que vencem no fim desse mês para ampliar a demanda por títulos públicos, em especial as LFTs, papéis atrelados à Selic. A ação atenuou as pressões de alta na curva de juros. A ajuda na gestão da dívida pública é considerada importante em um momento em que o governo aumentou os gastos públicos para combater os efeitos da pandemia do coronavírus, o que vai exigir que o Tesouro emita títulos públicos e aumente o endividamento. Mês de novembro No mês de novembro, segundo o Tesouro Nacional, as notícias positivas sobre a evolução das vacinas contra a Covid-19, e as perspectivas quanto aos resultados das eleições norte-americanas ajudaram a melhorar a percepção dos mercados de maneira geral. "Nesse contexto, o CDS do Brasil [indicador do risco-país] acompanhou o movimento de alguns pares internacionais e registrou queda de 20,1%, alcançando o valor de 174 pontos base no dia 23/11/2020", informou. Apesar da melhora do cenário externo, a instituição acrescentou que a "curva de juros" doméstica [juros futuros] apresentou "volatilidade" [oscilações] no mês, "com ganho de nível e inclinação, em decorrência da pressão inflacionária de curto prazo, bem como das incertezas fiscais [dúvida sobre as sustentabilidade das contas públicas]".



Contato


""

(61) 3435-5285

AMMA Contabilidade e Condomínios LTDA